Quando era eu ainda uma criança inocente, desprovida de qualquer sentido de responsabilidade, apenas tomava atenção a pequenos pormenores que me rodeavam. O meu mundo era vivido numa área restrita e tudo à volta pouco interessava.

As crianças são inocentes e não se apercebem de muitas coisas que as rodeiam e , pelo menos, eu acho que comigo aconteceu, vão sendo surpreendidas a pouco e pouco com coisas de que se vão apercebendo.

Então, com o passar dos anos, fui-me apercebendo de certas mentalidades menores a meu ver, e digo menores não qerendo ferir susceptibilidades, porque  não achava que ainda existissem formas de pensar tão tacanhas.

Com o passar dos anos fui conhecendo indivíduos, que por esta altura estão na casa dos vinte anos, cujos pensamentos estão bastante próximos de indivíduos na casa dos oitenta anos, que passaram a vida a trabalhar num campo, sem terem acesso a qualquer tipo de informação, sem aprenderem nada. Com esta comparação não estou a menosprezar os individuos de oitenta anos que passaram a vida a trabalhar, mas quero criticar os jovens de vinte anos. Ora estes jovens, têm acesso a um número ilimitado de informação, têm internet, têm livros, frequentam a faculdade. Não são portanto, à partida, ignorantes. Mas eu acho que são. Passo a exlicar porquê: em relação às mulheres, estes jovens consideram que o lugar delas é em casa, na cozinha( pensamento bem à moda do salazarismo e do culto à familia). As mulheres, não podem ter mais de um relacionamento ao mesmo tempo, porque senão são consideradas promiscuas, mas os homens podem e devem! E porquê? A resposta destes jovens seria: porque as mulheres apaixonam-se mais facilmente e os homens têm um instinto animal que devem satisfazer. No minimo ridiculo…

Para além destes preconceitos em relação às mulheres, também são racistas e xenofobos.

Para mim, homens e mulheres são iguais, mudam apenas alguns aspectos, e ainda bem, porque se fossemos idênticos a vida era monótona. Também considero pessoas de raças e nacionalidades diferentes, indivíduos iguais, com os mesmo direitos, mas que apenas diferem em alguns aspectos.

Uma possível explicação para existirem pessoas que pensem como estes individuos que conheci, não sei…Talvez a educação, ou talvez nunca tenham vivido uma realidade castradora como foi a da ditadura de Salazar. Mas eu também não vivi e não penso assim. Espero que existam muitos jovens com o pensamento para a frente e para o progresso e não com ideias do arco da velha e que já não lembram a ninguém, porque o mundo no futuro vai ser dos jovens de hoje.

 

                                                                  Catarina R. Costa