«Povo únido jámais será vencido», terá sido isto que Cavaco Silva quiz tentar fazer no seu discurso de hoje à tarde? Não entendo, a nível económico Cavaco relembra que vamos estar a enfrentar uma crise e que esta «não será nada fácil», mas depois afirma, segundo a notícia do PÚBLICO «”Não será um ano fácil, mas não pode ser um ano de baixar braços, de desistir” (…) recordando que, a este propósito, já disse que os empresários não podem adiar todos os investimentos para o futuro.».

O Presidente estará com isto a afirmar, «vamos desenvolver Portugal e fazer novos projectos que o governo apoia»? Ou estará a dizer, «peça ajuda ao seu vizinho do lado e os dois tentem desenvolver o país» que de qualquer forma o governo consegue dinheiro? Algo me deixa confusa nisto. Sabendo que todo o Mundo está a passar uma crise, Portugal deve esquecer isso por um bocado e investir agora? Então e a conversa de que o «cinto vai apertar»?

Então e quando vai ser a tarde que se vai falar dos problemas do BPP? Como se pode pensar em investir o «ganha pão» sem poder confiar no banco? Vamos a ver uma coisa, de leis e justiça quanto a VIPs acho que já temos q.b. no caso «Casa Pia». Agora é para fazer o mesmo quanto a BPP? Não sei até que ponto conseguem assim fechar bocas e colocar vendas na cara das pessoas. 

Mas sim é verdade, «povo únido jámais será vencido» e quem tem mais poder é mesmo o povo que trabalha, e que investe no nosso país. Mas quem é que vai querer investir depois de todos os problemas e mentiras que têm havido? Um povo que realmente tem andado com os braços para baixo comparadamente com o resto da Europa que se junta para levantá-los e manifestar o seu descontentamento, esse povo tem sido Portugal. 

Andrea Rocha