A palavra escravatura não poderá ser estranha ou desconhecida para ninguém, pois é uma palavra que vive neste Mundo desde sempre. Desde sempre que existe quem manda e quem terá que obedecer. O problema será que, actualmente, eu relaciono a palavra «obedecer» e «mandar» quando digo ao meu cão senta e ele o faz. Não pensando desta forma educar nenhum ser humano. Porque até o próprio cão poderá estar sem vontade de «obedecer». Sempre que lhe digo «senta» ele está no seu direito de me virar as costas e dizer «não me chateis» como eu lhe posso dizer o mesmo quando quer brincar e a mim não me apeteça.

Agora estou aqui a relacionar o facto de existir a palavra escravatura com a palavra obedecer e mandar. Agora ligarei as mesmas duas palavras a um emprego, seja qual for. Todos sabemos, que isto acontece muitas vezes, que acordamos de manhã e não nos apetece ir para o tal emprego, e porque continuamos a ir trabalhar? Porque sabemos que vivemos cada vez mais num Mundo capitalista e que mesmo que não consigamos trabalho num lucal com ordenado desejado não poderemos deixar de ir trabalhar porque o trabalho será recompensado monetariamente e necessitamos dele para sobreviver. No entanto, não podemos esquecer-nos que como empregados teremos que obedecer às ideias do nosso patrão, mas estaremos sempre na possibilidade de dizer que não a algo que vemos ir contra os nossos principios. 

Escravatura  é uma palavra antiga e que foi proibida há muitos anos. Mas é proíbido beber sobe o efeito de alcool e não é por isso que isso deixa de ser a causa de grande parte dos acidentes rodoviários. Agora, pessoalmente a essas pessoas que bebem e conduzem sobre o efeito de alcool têm que ter em consciência que têm em mãos uma arma branca que mata. Agora que já vimos a palavra proíbido e com que facilidade é que esta pode ser quebrada ou infringida volto a pegar na palavra escravatura e penso como esta se liga à palavra maldade, animalesco e sem sensibilidade

A sociedade dêz de sempre que nos colocou numa hierarquia. Por «boa educação» sabemos que devemos respeito aos mais velhos e que estes muitas vezes não entendem o que se passa com os «nossos tempos», mas isso não impõe o facto de nós estarmos errados. Vejamos, a evolução faz parte e novos e velhos têm que saber isso. 

Agora, sei que ninguém manda em ninguém e que ninguém poderá ser totalitário sobre ninguém, mas também sei que a evolução não acontece com todos, nem da mesma forma, porque existe o poder de fazer o que é proíbido e infelizmente muitas das vezes que isso acontece, nunca é para o melhor. A palavra evilução também não acontece sempre e a prova disso será o facto de ainda existir esse facto. E isso é triste, porque aprendemos como seres humanos, com os erros. Temos ditados antigos que podemos utilizar diariamente, como por exemplo, «não faças aos outros o que não gostas que te façam a ti» e teremos que entender que ninguém gosta de ser mal-tratado e isso implicaria não maltratar. 

Mais triste me deixa saber que existem pessoas que têm poderes monetários para pagar a empregados um bom ordenado e não o fazem porque conseguem mão de obra mais barata e que lhes dará mais lucro. O lucro justifica assim o capitalismo, o modo de vida e ao mesmo tempo o egoismo que parece muitas vezes ser o sinónimo da palavra capital.

Andrea Rocha